Marketing de Conteúdo

8 Estratégias de marketing digital para investir em 2022

Victoria Ribeiro

Sou uma redatora cabulosa, estou aqui para sabotar seu raciocínio.

Confira agora as principais 8 estratégias de marketing digital, são soluções que ajudam muito nos dias atuais a trazer à frente dos negócios o marketing humanizado.

À medida que o marketing de conteúdo – e especificamente o marketing digital – continua a moldar o cenário do marketing B2B, os profissionais de marketing estão começando a afrouxar seus cordões para abrir mais espaço para o novo ano. De acordo com pesquisas recentes do mercado, em 2022, o marketing de conteúdo, crescerá 59% em relação ao ano passado.

Hoje, pode-se dizer que os vídeos são recursos fundamentais do marketing digital, trata-se de algo autêntico e em tempo real que está posicionando o marketing de conteúdo para superar a pesquisa e o orçamento social.

8 Estratégias de Marketing Digital para investir com segurança

1. Vídeo e transmissões ao vivo

Não é preciso descobrir a roda para entender que mostrar como a narrativa visual se tornou importante. Os consumidores gostam de assistir a vídeos — até quatro vezes mais consumidores preferem assistir a um vídeo do que ler um texto. Mas produzir um vídeo é difícil. Quando você adiciona incapacidade de editar, consistência limitada e falta de estratégia, você criou uma receita para o desastre para sua marca.

De acordo com especialistas, Live Video é apenas o último brinquedo brilhante do marketing de conteúdo. Temos que ter um plano claro e uma estratégia real para retornar KPIs mensuráveis ​​se quisermos ter sucesso.

Mas os vídeos de transmissão ao vivo não vão a lugar nenhum. Podemos esperar que a tendência passe de novidade para marketing mainstream este ano. Portanto, quanto mais cedo você colocar uma estratégia em prática, melhor. 

A tecnologia permitirá que o modelo “consumidor como voyeur” cresça. Adicione um senso de urgência para assistir agora ou perca para sempre, e você fisgou os consumidores, mesmo no espaço B2B.

2. Marketing de Conteúdo Original

Não é exatamente novidade dizer que o marketing de conteúdo ainda deve dominar seu orçamento de marketing digital. Praticamente todo profissional de marketing já está criando conteúdo para seu público. Mas isso significa que está ficando mais difícil se destacar na multidão. Os consumidores são expostos a centenas de anúncios por dia, o que significa que enfrentam fadiga de conteúdo. 

O conteúdo precisa desacelerar e se tornar real.

Veremos mais autenticidade, mais personalização e mais intenção à medida que crescemos como profissionais de marketing de conteúdo. A personalização irá além de <first_name>. Grandes marcas buscarão as ferramentas para construir experiências personalizadas para as pessoas que são realmente personalizadas. A personalização passará do chavão ao fundamental. Dica: a WebPeak tem ferramentas de marketing que podem auxiliar o seu negócio no alcance do topo de buscadores. 

Intimamente ligado à personalização está o mapeamento da jornada, que se tornará a base para os profissionais de marketing modernos. As marcas este ano precisam dar um passo atrás e se concentrar em entender como os clientes fluem em sua jornada. Precisamos entender o consumo de conteúdo, compartilhamento social, comportamento de compra e afins e descobrir padrões para sugerir o próximo melhor passo para cada consumidor único.

3. Criação de Estratégia (e-mail marketing, redes sociais e afins)

Produzir conteúdo simplesmente para empurrar algo para fora da porta não é uma estratégia de conteúdo. Uma enorme quantidade de conteúdo medíocre decorrente da falta de compromisso com sua estratégia de conteúdo sempre prejudicará sua marca muito mais do que não criar conteúdo algum.

A maioria das empresas usa pelo menos alguma forma de marketing de conteúdo hoje. A estratégia pode ser aplicada através de e-mail marketing, por exemplo. Pensando na gestão estratégica de marketing digital, o e-mail marketing é uma ferramenta eficaz. Segmente o seu público também via e-mail.

Sabemos que precisamos criar conteúdo projetado especificamente para levar as pessoas de “apenas navegando” ao ponto do funil de vendas onde se tornam compradores e clientes. Mas como podemos fazer isso sem um plano claro?

Precisamos descobrir quem estamos alcançando, quais são nossos objetivos, quando e onde você pode entregar conteúdo e, o mais importante, por que isso é importante. Por que alguém deveria se importar o suficiente com seu conteúdo para lê-lo?

Gaste tempo e coloque os recursos para elaborar uma estratégia e definir seus KPIs.

4. Internet das Coisas (pense em mobile) 

De acordo com especialistas, o número total de dispositivos conectados mais que triplicará, atingindo mais de 30 bilhões nos próximos três anos.

É claro que smartphones e tablets continuarão sendo essenciais na construção de uma base para o ecossistema de IoT, mas apenas arranhamos a superfície do que está por vir.

Considere isto:

  • Seu carro alerta o termostato de sua casa quando você estiver a 10 minutos para aumentar ou diminuir a temperatura para o conforto de sua família e obter a máxima eficiência energética;
  • Dispositivos vestíveis que monitoram sua pressão arterial enviam informações diretamente ao seu médico; 
  • Seu aquecedor de água pode enviar relatórios de diagnóstico para um representante de atendimento ao cliente e solucionar problemas antes que ocorra uma falha.

Essa super-rede de conectividade oferecerá mais dados este ano que podem ser usados ​​em estratégias acionáveis. E abrirá o caminho para insights mais específicos sobre hábitos e preferências do consumidor, equipando os profissionais de marketing para atingir seu público com mais precisão.

5. Distribuição de Conteúdo (crie uma boa landing page) 

“Se você construir, eles virão” é um mito no marketing de conteúdo. Um bom conteúdo só é notado se compartilhá-lo for parte integrante do seu esforço de marketing.

Se você quiser dar uma chance ao seu conteúdo de qualidade, você precisa de um mecanismo para conduzi-lo. Não podemos nos dar ao luxo de fazer projeto após projeto após projeto sem que eles nunca mais vejam a luz do dia. Precisamos de uma maneira de obter informações na frente de nossos contatos mais importantes.

O conteúdo pago pode dar um pequeno impulso, mas boa parte dos cliques sociais vão para o conteúdo orgânico e, no Google, o conteúdo orgânico comanda 80% dos cliques. Antes de gastar o tempo criando um conteúdo, precisamos nos perguntar: “Quem se importa”. Em seguida, identifique o motivo e construa uma rede para ampliar seu trabalho.

6. Estratégias de marketing entre dispositivos

O consumidor médio está conectado através de pelo menos cinco dispositivos endereçáveis. Isso significa que, como profissionais de marketing, estamos analisando cinco vezes o trabalho para garantir que o conteúdo que criamos seja otimizado para qualquer plataforma em que nosso público queira digeri-lo. Novas plataformas, como dispositivos vestíveis, estão se tornando populares este ano . Outras plataformas que nem pensamos vão surgir. Certifique-se de que há espaço suficiente em seu orçamento para investir neles antes de ficar para trás.

7. E-mail e automação de marketing

Uma coisa que vale considerar é o seguinte: o e-mail precisa de uma agência de relações públicas melhor. Todo mundo, desde a vovó Maria até o pequeno Joãozinho na rua, o usa, mas de acordo com todos os especialistas em tecnologia que criaram o próximo grande “seja lá o que for”, o e-mail está morto. Novamente.

Errado!

Existem mais de 2,6 bilhões de usuários de e-mail em todo o mundo. Além disso, cerca de 55% dos tomadores de decisão da empresa preferem se comunicar quase exclusivamente por e-mail. Sem mencionar que o retorno do investimento é mais do que qualquer outro ativo digital em impressionantes 4.300%.

8. SEO como estratégia de marketing digital 

A otimização de mecanismos de pesquisa está evoluindo na velocidade da luz e não pretende mudar no próximo ano. As atualizações do algoritmo do Google continuarão a manter os departamentos de marketing em alerta, enquanto novas tendências de otimização devem tomar forma. Este ano, as palavras-chave vão amadurecer para otimizar a intenção do usuário. As pessoas hoje sabem exatamente o que estão procurando, e os mecanismos de pesquisa estão ficando muito melhores em identificar a intenção .

À medida que mais usuários começam a digitar consultas completas nos mecanismos de pesquisa, dados e heurísticas são coletados, que são capazes de oferecer resultados mais direcionados de forma eficaz. Descubra quais perguntas suas personas de compradores ideais estão fazendo e direcione o que elas estão procurando que as levem à sua página.

Espera-se que outras tendências, como marketing cross-channel e otimização para dispositivos móveis, reformulem tudo o que você achava que sabia sobre SEO este ano também. E a pesquisa por voz finalmente resolverá os problemas, permitindo que a tecnologia vá do reconhecimento de voz ao entendimento de voz. Essa evolução mudará dados de pesquisa anteriores, contexto baseado em localização, informações personalizadas e pesquisa de palavras-chave com base em frases faladas.

Gostou do conteúdo? 

Vale a pena dar uma conferida em nossas propostas! Conheça nossos planos e continue acompanhando o blog para mais dicas. 

Últimas Postagens WebPeak

Blog

O que são mecanismos de pesquisa e sua importancia no SEO

E-Commerce

Dicas infalíveis de planejamento estratégico para e-commerce

Marketing de Conteúdo

8 Estratégias de marketing digital para investir em 2022

SEO

SEO para site novo