E-Commerce

Dicas infalíveis de planejamento estratégico para e-commerce

Victoria Ribeiro

Sou uma redatora cabulosa, estou aqui para sabotar seu raciocínio.

Neste post, você vai conferir nossas dicas para ter um planejamento estratégico para e-commerce bem sucedido, que irá impulsionar os resultados em seu negócio! Boa leitura! 

Até uma década atrás, não era possível comprar algo que você não via ou sentia fisicamente. Significava dar-se ao trabalho de visitar lojas e pontos de venda e encontrar o produto certo que atendesse às suas necessidades. Por exemplo, uma determinada marca de camisa de um determinado tamanho pode estar disponível apenas em uma ou duas lojas em sua área e você precisa fazer algum trabalho braçal para saber onde ela está.

Da mesma forma, um dispositivo ou aparelho eletrônico só pode ser selecionado depois de visitar algumas lojas e gastar tempo examinando suas características e preços. 

Mas tudo isso mudou.  Com o acesso à Internet se tornando universal, os gateways de pagamento se tornando seguros e confiáveis ​​e o rápido crescimento da telefonia móvel, aumentando o número de aplicativos móveis (apps) graças aos smartphones, a compra de mercadorias tornou-se mais fácil com um clique do mouse ou uma rolagem no celular. Qualquer coisa, desde joias, máquinas pesadas, alimentos cozidos, mantimentos, produtos eletrônicos agora pode ser encomendado on-line na conveniência de sua casa ou escritório.

Não é à toa que mais e mais empresas estão montando uma estratégia de comércio eletrônico de roupas para vender seus próprios produtos ou atuar como agregadores de produtos de outras empresas e vendê-los. Ter um planejamento estratégico para e-commerce é vantajoso por conta dos custos indiretos mais baixos, custos de distribuição mais baixos, mas requer algum planejamento e trabalho de base para que o negócio de comércio eletrônico funcione.

7 Principais dicas para ter sucesso no planejamento estratégico para e-commerce 

1. Crie um bom site e estratégia de comércio eletrônico, planeje seu conteúdo

Assim como no tijolo e argamassa ter um espaço físico é importante, da mesma forma, ter um site de comércio  eletrônico é o primeiro passo importante para iniciar o negócio. Deve ter um nome atraente que as pessoas possam lembrar facilmente e, se possível, relacionado ao tipo de mercadoria que planejamos vender. Às vezes, um nome genérico também será suficiente, pois mais tarde você poderá adicionar mais categorias para serem vendidas no site de comércio eletrônico.

A página inicial deve ser atraente, mas simples de usar e navegar. Preste atenção à qualidade do conteúdo, pois ele deve aparecer lentamente nos rankings do Google. Além de descrições de produtos, fotos ou vídeos, deve haver uma introdução sobre a empresa, suas operações, termos e condições de venda. Blogs educativos, análises de produtos e recortes de notícias também podem ser adicionados ao site.

Certifique-se de que o conteúdo seja original e não retirado ou reformulado de outros sites. Aplica-se não apenas ao texto, mas também a vídeos, áudios, infográficos e imagens. Também tenha espaço para conteúdo gerado pelo usuário na forma de opiniões, análises de produtos, vídeos e áudios. Algumas das melhores estratégias de marketing de comércio eletrônico envolviam pedir às pessoas que enviassem vídeos para uma causa de caridade.

2. Iniciar atividade de marketing para o site

Assim que o site de comércio eletrônico estiver pronto e funcionando, as pessoas precisam conhecer o site para que suas vendas aconteçam. Nos estágios iniciais, você pode não ter fundos para grandes campanhas de mídia nem é necessário, pois a maior parte do trabalho promocional deve acontecer online. 

O Google Adwords permite que você coloque anúncios nas páginas mais pesquisadas por suas palavras-chave e algum tráfego aconteceria por meio de crescimento orgânico se o site de comércio eletrônico fosse otimizado para mecanismos de pesquisa (SEO). Use a publicidade Pay-per-Click (CPC) e a publicidade CPM (Custo por impressão) nos mecanismos de pesquisa com sabedoria, selecionando as palavras-chave mais relevantes e fazendo lances para elas. Isso aumentará seu alcance online e a visibilidade para um número crescente de clientes que compram online.

Para pequenas empresas do comércio eletrônico, o uso de recursos como ferramentas de SEO podem ser uma grande vantagem.  Campanhas de e-mail com boas ofertas e descontos podem atrair tráfego para seu site de comércio eletrônico e gerar conversões de vendas. 

É melhor usar um software de gerenciamento de e-mail que rastreie seus resultados, forneça modelos de página, automatize seu processo de envio, forneça status de entrega e taxas de abertura. Algumas empresas de comércio eletrônico oferecem taxas de assinatura mensal e anual para gerenciamento de e-mail com base no número de e-mails enviados.

3. Inicie campanhas de mídia social

A popularidade da mídia social está ganhando dia a dia e nenhum profissional de marketing pode ignorar o poder do Facebook, Twitter, Pinterest e Linkedin. Novos produtos, ofertas, descontos, competições, sorteios e cupons podem ser popularizados através das mídias sociais. Os players de mídia social agora têm opções para aumentar os visitantes do seu site, criar mais curtidas para suas postagens, criar mais curtidas para a página e no Twitter gerar mais seguidores.

É melhor ficar com três ou quatro bons posts toda semana ao invés de compartilhar e postar o grande número de posts que aparecem como spam para quem curte sua página. É melhor automatizar as postagens do Facebook e do Twitter agendando com antecedência, em vez de gastar diariamente na atualização das páginas.

O Instagram é uma mídia social ideal para compartilhar fotos de produtos, resenhas e conteúdo gerado pelo usuário bastante popular no ocidente.

O Youtube é uma estratégia de marketing de comércio eletrônico ideal para compartilhar vídeos de seus produtos, depoimentos de usuários e compartilhá-los no Twitter, Facebook, Pinterest etc.

4. Tenha um carrinho de compras online

Um aplicativo de carrinho de compras é obrigatório para compras on-line que funcionam com o maior número de gateways de pagamento. As opções de pagamento devem ser flexíveis e, em alguns casos, a opção de pagamento na entrega pode ser ideal para obter mais negócios, dependendo da persona alvo e dos produtos vendidos.

Um esforço deve ser feito para tornar o processo de checkout simples e menos complicado para o comprador. Registrar-se antes de comprar pode permitir que eles façam login novamente em sua conta e continuem com o procedimento de compra de onde saíram.

5. Distribuição e Logística

A parte mais importante da estratégia de comércio eletrônico, além, é claro, da qualidade das mercadorias, é a entrega das mercadorias, a política de devoluções e os custos de envio. Em algumas regiões, onde não é possível nomear um agente de transporte e expedição para entrega local, custos adicionais podem ser incorridos no envio das mercadorias, pois deve ser claramente mencionado no momento da venda se há custos adicionais de envio no produtos. 

Da mesma forma, levando em consideração o crescimento e o volume de negócios, faz sentido se associar a fornecedores de logística terceirizados para gerenciar complexidades. A logística reversa também é importante, pois os clientes julgam uma empresa pela rapidez com que lidam com devoluções e trocas. Reduzir o tempo de entrega e a entrega dentro do prazo programado é vital para o sucesso da estratégia de marketing do e-commerce.

6. Invista em vendas e marketing móvel

Muitas empresas de comércio eletrônico agora estão desenvolvendo aplicativos móveis e fazendo promoções em dispositivos móveis para atingir um público maior. Pesquisas mostram que as pessoas que acessam a rede pelo celular estão aumentando rapidamente e também são mais propensas a baixar vários aplicativos para compra de mercadorias ou para pagamento de contas. M-commerce ou comércio móvel está crescendo a uma taxa exponencial de 200%. Portanto, os jogadores da estratégia de marketing de comércio eletrônico precisam fornecer informações sobre produtos, status de entrega, mapas clique para ligar, notificações em tempo real aos clientes no celular.

7. Definindo seu nicho de mercado

Para pequenos e médios players, é importante estabelecer seu 'território' ou nicho e identificar o público-alvo com interesses comuns e comportamento de gastos. O site de comércio eletrônico deve ser feito sob medida para esse público. Isso é melhor do que direcionar um grande banco de dados e perder o foco.

Como a WebPeak te ajuda a ter um planejamento estratégico para e-commerce

O sucesso no espaço da estratégia de marketing de e-commerce depende de uma variedade de fatores como qualidade do produto, prazo de entrega, política de devoluções, atendimento ao cliente, procedimentos de pagamento e uso de recursos apropriados de marketing digital, como as ferramentas de SEO da WebPeak

O requisito mais básico, no entanto, é ter um ótimo conteúdo para direcionar os leitores ao seu site. As descrições dos produtos devem ser únicas, as avaliações dos usuários devem ser incentivadas, otimizar os tempos de carregamento do site. Com ferramentas de otimização de sites, como Pesquisa de Palavra-Chave e relatórios eficientes de SEO, seus resultados podem ser ainda melhores. 

É importante ter fotos de boa qualidade que possam ser ampliadas e vistas de diferentes ângulos para que o comprador decida na decisão de compra. Aplica-se à maioria dos produtos, incluindo joias, telefones, roupas, produtos eletrônicos e produtos de consumo. Os tempos de carregamento do site podem ser melhorados reduzindo a resolução das fotos e não colocando muitas fotos em uma página.

No caso de roupas, calçados e acessórios, as medidas do corpo e os tamanhos correspondentes devem ser claramente mencionados, em vez de apenas dizer Pequeno, Médio, Grande, Extra grande etc. Em alguns casos, faz sentido que a empresa tenha presença offline em algumas cidades para que quem quiser tocar, sentir e comprar tenha a opção de fazê-lo. Isso pode ser viabilizado por meio de pontos de venda próprios ou por meio de franquias para redução de custos.

As diferentes páginas podem ser vinculadas, tornando mais fácil para o Google mostrar os resultados da pesquisa. Na verdade, os mecanismos de pesquisa preferem sites de comércio eletrônico que tenham o recurso de links internos. Isso é possível vinculando páginas relevantes, tornando a navegação mais fácil para o comprador.

Gostou do artigo? 

Para obter mais informações sobre o planejamento estratégico para e-commerce, conheça nossos planos e continue acompanhando o blog para mais dicas. Oferecemos recursos para dar a novos sites maneiras de melhorar seu desempenho. 

Últimas Postagens WebPeak

SEO

Você sabe o que é Cloaking? Nós te explicamos!

Empreendedorismo Digital

Dicas infalíveis para se destacar no empreendedorismo digital

Tutoriais

5 dicas para aumentar o potencial de negócio de maneira simples

SEO

Como crescer com Conteúdo Orgânico