Google

Google Discover: como preparar seu site para o Google sugerir suas páginas

18
Feb
2021

Victoria Ribeiro

Sou uma redatora cabulosa, estou aqui para sabotar seu raciocínio.

Para começar, o que é Google Discover?

Na prática, o Google Discover é uma “pesquisa-sem-pesquisa”, sua função é sugerir resultados pró-ativamente, tanto no aplicativo quanto nos resultados de pesquisa do buscador, o que poucas pessoas valorizam é o fato dele ser cada vez mais importante em SEO

Se você quer estar à frente dos competidores, está no lugar certo. Aqui, vamos te explicar o papel do Google Discover, hoje, como parte das estratégias de SEO

O que é Google Discover?

Estamos na era tecnológica. Chegamos até aqui. A cada nova atualização de algoritmo do Google, uma nova ferramenta ou novas formas de metrificar o sucesso de um site surge a fim de obter a atenção de seu usuário.

A realidade é essa: as evoluções tecnológicas do maior buscador do mundo, conhecido também como Google, impulsionaram novos comportamentos e maneiras de ordenar o acesso à informação na internet. Para otimização de sites, a cada inovação que surge, temos um novo SEO.

O Discover, inicialmente lançado como Google Feed, é a timeline de conteúdos visível na home do Google em dispositivos móveis, ou seja, smartphones, tablets e afins. Tem tudo a ver com a experiência do usuário

Em resumo, o Discover, nativo do Android, o sistema operacional mobile do Google, é a maneira mais personalizada possível de entrega e consumo de conteúdo.

De acordo com as manifestações do próprio buscador, em suas diretrizes na central de ajuda do Search Console, o Google Discover define-se da seguinte maneira:

“O Discover mostra aos usuários uma seleção de conteúdo com base nas interações deles com os produtos do Google ou no conteúdo que eles decidem seguir diretamente. (…) Se acharmos que um conteúdo pode ser interessante para um usuário, o Discover o mostrará.
O Discover também inclui vídeos, placares esportivos, atualizações de entretenimento (como lançamentos de filmes), preços de ações, informações sobre eventos (como os indicados para uma cerimônia de premiação ou as atrações de um festival de música) e muito mais. O Discover é uma central de conteúdo para todos os seus interesses.”

Ou seja: o Google define, por meio da análise de interesses, aquilo que é mais agradável para cada usuário e entrega, no caso, não é necessário fazer pesquisa prévia, o conteúdo mais relevante surge no momento em que foi acessado.

Como funciona o Google Discover?

A melhor maneira de aprender sobre as atualizações do Google é a partir da recapitulação de suas últimas atualizações. Então vamos lá, se você está constantemente ligado nas atualizações de algoritmo do Google, com certeza já se deparou com os termos machine learning e inteligência artificial. Para refrescar a memória: 

Machine learning: processo de aprendizado automático de uma máquina por meio de reconhecimento de padrões e análise de dados.

Inteligência artificial: é o conceito que permite que as máquinas — ou robôs—, identifiquem os padrões mencionados acima, os reconheça, aprendam com eles e se aproximem da análise humana de determinados processos. Esse é o desenvolvimento da tecnologia


No passado não tão distante, grandes atualizações do Google aperfeiçoaram e trouxeram com mais potência a inteligência artificial para dentro de seu algoritmo, sobretudo os grandes Hummingbird, RankBrain e BERT Update.

No entanto, o Google consegue, na prática, compreender a intenção de busca de um usuário a partir dos termos mais genéricos. Como? 

Através da análise do comportamento de um usuário pela internet, seus conteúdos mais consumidos, frequência de acessos a determinados sites, histórico de busca e até mesmo sua geolocalização. Agora, isso tem a ver com dados. 

Os algoritmos seguem a seguinte premissa: já que o robô nunca para de aprender (ou de analisar nossos dados e comportamentos), quanto mais os usuários fazem buscas, mais relevantes serão os resultados recebidos pelo Google, e profissionais de SEO.

Essa evolução tecnológica é responsável por nos trazer mais simplicidade. Hoje, quando fazemos uma simples pesquisa no Google, milhões de aspectos são simultaneamente considerados e, com isso, pode-se ficar seguro de estar recebendo as melhores e mais abrangentes respostas disponíveis. No Google Discover, acontece diferente da clássica página de busca, o processo de entrega de resultados é o mesmo, com somente um detalhe que o diferencia: não é preciso fazer busca nenhuma. Isso mesmo. 

O Google Discover anunciou uma nova era, a ser cada vez mais desenvolvida: é o início da era da pesquisa sem pesquisa. O Google chamou isso de “o próximo passo“. 

Como escrever conteúdos para ‘’agradar’’ o Discover

A produção de conteúdos relevantes exige dedicação e conhecimento de estratégias de SEO. Afinal, um artigo otimizado para os usuários da internet tem muito mais chances de ser bem posicionado nos resultados de pesquisa. Para produzir conteúdos matadores para ranqueamento no Google Discover, confira nossas dicas:

Conteúdos relevantes 

Desenvolva conteúdos em multiformato. Se você for escrever conteúdos sem validade — ou o chamado evergreen content —, se dedique para entrar com tudo no tema abordado: agregue valor ao conteúdo com citações de especialistas, linke sites de referência, inclua infográficos, vídeos, imagens, escreva conteúdos longos, bem ordenados e hierarquize as informações com os atributos H1, H2, H3, além de outras ações, como: 

  • Escreva títulos atrativos e bem direcionados (ou seja, diretos);
  • Escreva conteúdos cujo foco seja o usuário;
  • Não publique conteúdo duplicado!

Quer dar um up a mais nos seus conteúdos? O Google Discover vai amar. Você pode especializar a sua entrega de conteúdo no formato de vídeo, algumas dicas são:

Que tal humanizar sua marca?

  • Faça vídeos de making off mostrando sua equipe e marca/serviço;
  • Entreviste funcionário;
  • Crie histórias que possam envolver seu público com seu negócio;
  • Teste produtos e mostre como eles funcionam e podem ser úteis de forma prática.

O Google Discover tende a dar mais destaque a conteúdos de grande apelo visual, por isso o próximo tópico conta muito, principalmente se você está preparando seu site para ser destaque nos resultados do Discover. 

Lembre-se: esta nova atualização do Google está sempre pedindo a opinião de seus usuários sobre suas entregas. Cativar o leitor é fundamental.

Invista em ótimas imagens

Como já foi dito, uma das premissas do Google com o processo de pesquisa-sem-pesquisa é passar de um formato de resultado textual para um mais visual.

Dessa forma, encontra perfeitamente com a maneira que as imagens são utilizadas em seus conteúdos. Em anos de história do SEO, as imagens nunca tiveram tanta importância como agora.

Melhores práticas para otimizar as imagens do seu conteúdo são:

  • Utilizar somente imagens de qualidade alta;
  • Comprimir as imagens o máximo possível sem que sua qualidade seja afetada;
  • Subir imagens que tenham no mínimo 1.200 pixels;
  • Não utilizar imagens que violem direitos autorais ou que por qualquer outro motivo não possam ser livremente veiculadas pelo Google;
  • Selecionar imagens em que os nomes de arquivo sejam descritivos e apropriados ao seu conteúdo;
  • Para SEO, fundamental: incluir nas imagens legenda e atributo alt text apropriados.

Mobile-friendness

Primeiramente, o Discover é um recurso disponível apenas em dispositivos mobile. Com isso, suas páginas devem ser mobile friendly para ocupar alguma posição nesta timeline.

Dessa forma, preste muita atenção nos aspectos técnicos, além da importância do mobile friendly, seu site não deve entregar anúncios invasivos que prejudiquem a navegação e leitura de nenhuma página. 

Sempre faça a otimização de suas páginas para AMP. Apesar do Accelerated Mobile Pages não ser, necessariamente, um fator de ranqueamento, sua utilização é muito útil pois ali concentram-se as melhores práticas para mobile, principalmente as vistas no Page Experience, última atualização do Google.

Além disso, vale considerar os seguintes itens: 

  • Velocidade de carregamento das páginas;
  • Imagens compactadas;
  • Aplicação de técnicas de desenvolvimento de conteúdo para telas pequenas (frases curtas, texto objetivo e afins);
  • UX (Experiência do Usuário) e design adaptado.

Ou seja, sua página deve ser transformada para aquilo que você gostaria de ver pelo celular. 

A WebPeak pode ser sua aliada nesse processo de otimização, confira nossas ferramentas de SEO (concentradas em um único lugar)! Entre em contato


Últimas Postagens WebPeak

Ferramentas de WebMaster

Novidade: Google lança Search Console Insights

Marketing

Industrias no ecommerce: mudanças no comportamento do consumidor

Marketing

Como PIX mudou o comportamento e compra online

E-Commerce

Como criar eventos Google Tag Manager