Google

Otimização de palavras: entenda como o Google diferencia palavras no singular e plural

24
Feb
2021

Victoria Ribeiro

Sou uma redatora cabulosa, estou aqui para sabotar seu raciocínio.

Quantas vezes você fez uma pesquisa no Google para um termo específico e, por fim, não foi encontrando o que gostaria? Com a falta de sucesso, refez a pesquisa utilizando o mesmo termo, mas em uma versão diferente desta mesma palavra. Já fez isso, certo?

Pois bem, eu já, diversas vezes. 

Com essas experiências, me despertou a vontade de escrever sobre isso. Então vamos  lá!

Primeiramente, é preciso compreender as diferenças de ranking entre o singular e o plural de uma mesma palavra-chave, essa é uma discussão antiga na comunidade de SEO. E, por sinal, após grandes atualizações de algoritmo, cujo foco era atingir uma maior compreensão do contexto semântico — Hummingbird e Google BERT, por exemplo —, a questão ficou ainda mais evidente.

Entendendo as diferentes intenções de busca

Com essa introdução, se tratando de palavras no plural e no singular, há impacto nos resultados de busca. Por mais que nós os reconheçamos como mais ou menos sinônimos, também devemos reconhecer que podem haver aspectos únicos em um ou em outro termo.

Para os resultados de pesquisa, as palavras no plural têm sentido mais amplo, por exemplo, ao pesquisar por ‘bolsa feminina’, o interesse específico, diferente de ‘bolsas femininas’, que amplia as interpretações. Se você faz uma busca por um plural, talvez esteja interessado em uma lista ou uma página de comparações, como uma página de categoria com diferentes tipos de itens. 

Voltando ao exemplo da ‘bolsa feminina’, a busca pelo plural do termo tem um sentido mais amplo e reflete o desejo de encontrar vários tipos de bolsas, normalmente para compará-las, antes de chegar à decisão final. Essa busca, entretanto, tende a mostrar na SERP páginas de categoria, páginas de busca ou sites comparadores de preço.

Já o termo no singular, os resultados na SERP

Lembre-se: a capacidade do buscador de captar a intenção de busca de um usuário não está limitada apenas à palavra-chave que é utilizada por ele no campo de pesquisa, e sim a todo o seu comportamento na internet, incluindo aspectos como histórico de navegação, de pesquisa e até mesmo acessos diretos realizados pelo usuário.

Como otimizar o site para diferentes interpretações do Google

1. Segmentando palavras-chave

As keywords são extremamente importantes para SEO, uma vez que é com elas que você segmenta seus potenciais clientes. Neste caso é necessário utilizar as palavras-chaves em seu planejamento de SEO e também para criar pautas de conteúdo.

Uma dica interessante para você aplicar é escolher keywords que tenham o maior volume de busca e menor dificuldade de posicionamento. Caso ainda esteja iniciando em SEO, busque palavras mais simples, pois você terá mais chances de se posicionar.

Não existe uma regra, mas nossa dica é que encontre 10 palavras-chave relevantes para o seu negócio, e só depois de escolher essas palavras você passará a produzir conteúdo sobre. De forma geral, o Google irá localizar as keywords principalmente nos seguintes elementos da sua página:

  • Título
  • H1, H2, H3, etc. (títulos e subtítulos da página)
  • Conteúdo
  • Imagens
  • Links internos

2. Conhecendo o conteúdo que o Google gosta

Atualmente é o conteúdo que define o sucesso ou o insucesso das suas páginas na internet, por isso é necessário ter conteúdo relevante e qualificado para que o Google identifique que seu site é digno de ser apresentado para quem fez uma pesquisa relacionada. 

Se você quer saber que o Google procura, é muito simples, o buscador leva em consideração os seguintes quesitos:

  • Conteúdos aprofundados, que sejam guias completos;
  • Conteúdos que tenham em média, de 500 a 2.000 palavras;
  • Utilização de imagens originais e que realmente sejam necessárias;
  • Textos que tenham uma boa “escaneabilidade”;
  • Textos qualificados com tempo de leitura com cerca de 3 minutos ou mais.

De forma geral, o Google considera relevantes conteúdos que proporcionem uma boa experiência para o usuário, e a melhor forma de se medir isso é o consumo de seu conteúdo, utilizando métricas como duração da sessão e tempo médio dentro das páginas.

  • Faça uma análise e pesquisa conteúdos concorrentes;
  • Faça algumas pesquisas no Google e estude os principais resultados que atualmente se posicionam.  Assim você vai conseguir identificar quais conteúdos o Google está considerando relevante no momento;
  • Faça um apanhado de coisas em comum que esses resultados possuem, anote todas as informações, e depois se for possível, traga conteúdo exclusivo, que ninguém ainda falou;
  • Faça algo original, bem pensado, seguindo as diretrizes do Google, mas que também possa chamar atenção do usuário.

A “escaneabilidade” pode ajudar a escrever conteúdos que facilitam a leitura do usuário.

Escaneabilidade é um conceito utilizado onde o usuário lê o texto dinamicamente, de forma mais popular, quando lemos “por cima”, vendo os tópicos principais.

Para conseguir essa escaneabilidade em seu conteúdo, utilize parágrafos curtos com apenas uma ou duas frases. Você também pode fazer uso de subtítulos. A cada 5 parágrafos, procure usar subtítulos (em H2 ou H3) para destacar o assunto abordado naquela parte do texto.

otimizacao-de-palavras-entenda-como-o-google-diferencia-palavras-no-singular-e-plural

3. Conhecendo a Experiência do Usuário para ser relevante

Já sabemos que possuir uma página relevante é o foco para conseguir um bom posicionamento. Para ajudar nessa questão existem ferramentas como Google Analytics,  Heatmap (mapa de calor) que é excelente para analisar o comportamento do usuário e criar melhorias.

Geralmente esses mapas de calor trazem 3 tipos de relatórios. São eles:

  1. Click Map: mostra o mapa de calor baseado nos cliques da página;
  2. Move Map: mostra o mapa de calor baseado no movimento do mouse (no caso de análise de Mobile, nos “taps”, que são as interações com a tela);
  3. Scroll Map: mostra o mapa de calor baseado na rolagem da página.

Essa é uma ferramenta muito útil, que pode ser utilizada para acompanhar o que acontece dentro das suas páginas.

4. Aumentando a Autoridade de seu site fazendo Link Building

Agregar links no seu conteúdo, mais conhecido como Link Building, também é uma das etapas mais difíceis ao fazer SEO.

Esses links possuem um grande valor para SEO, pois ajudam o Google a entender a autoridade, em outras palavras, a reputação das suas páginas.

Resumidamente falando, quanto mais links um site conseguir melhor será a sua autoridade sobre o assunto. Mas nunca se esqueça de que a qualidade é sempre mais levada em consideração do que a quantidade.

Uma das formas de conquistar esses links é escrevendo conteúdos de qualidade, assim outras pessoas passam a apreciar o seu conteúdo e consequentemente fazem menção a sua página em seus sites.

O que é uma Consultoria em SEO: entenda como é feita 

SEO (otimização para sites) é a melhor alternativa de investimento para empresas que valorizam o bom desempenho na internet. Pensando nisso, a consultoria em SEO faz referência à prestação de serviços de otimização de sites para mecanismos de busca (SEO). O termo consultoria é conhecido, normalmente, como uma atividade meramente consultiva, ou seja, quando ouvimos esse termo não fazemos a ligação de que envolve “mão na massa”. Entretanto, vale relembrar que prestadores de serviços irão tanto auditar, quanto planejar e executar tal ação.

Uma das principais dores que existem no mercado é a ausência de execução das estratégias propostas, isso acontece porque não é toda a empresa que detém todas as competências necessárias para executar SEO, porém, você vai ver que nem todos os casos são assim.

A consultoria irá variar de acordo com diversos fatores, que vão desde o momento da conta, o orçamento e as prioridades.

Na WebPeak, os serviços de SEO incluem toda a auditoria, planejamento e orientação para executar as melhores práticas. Nossa consultoria envolve as seguintes frentes:

  • Análise de Mercado e Concorrentes;
  • Análise e Auditoria Técnica;
  • Análise de Performance;
  • Planejamento Estratégico;
  • Implementação de Melhorias Técnicas de SEO;
  • Criação de Conteúdo;
  • Link Building;
  • Gestão de Performance & Business Intelligence;
  • Experiência do usuário.

Na WebPeak, fazemos uma consultoria completa relacionada a todas as etapas acima, que não são feitas a todo momento, mas com uma constância para que os resultados possam ser percebidos de médio a longo prazo; com isso, acreditamos que se obtêm mais resultados ao priorizar as ações mais eficientes, em etapas de desenvolvimento de SEO.

Investir em SEO

Antes de ter uma consultoria de SEO, é necessário que você entenda o papel da busca orgânica no seu funil de vendas. Entenda com gosto, profundamente. Para isso, pense que para contratar uma consultoria de SEO, é essencial compreender o tráfego orgânico em sua estratégia, se você está pensando em como o Google está olhando o seu negócio, ou realizar um benchmark para identificar como os seus concorrentes têm agido.

Compreender esse ponto é essencial, pois devemos levar em consideração que o funil de vendas digitais tende a ficar cada vez mais complexo, que é o que está acontecendo, e é importante conhecer o papel de cada mídia dentro dele. Tenha um bom planejamento com funil de vendas, com isso, cada um dos canais, inclusive o orgânico, irão entregar melhor performance para seu negócio. 

A WebPeak tem soluções em SEO para seu negócio. Confira nossas ferramentas de SEO que nunca deixaram a desejar! Entre em contato conosco



Últimas Postagens WebPeak

SEO

Conheça o Gerador de Title e Description Grátis da WebPeak

Google

Quer saber como disparar site na busca orgânica? Veja essas dicas!

SEO

10 melhores práticas para impulsionar o SEO WordPress

E-Commerce

Transformações no Marketplace