Plataforma de E-commerce

Pix e o impacto no ecommerce

11
Jan
2021

Mariana Chaves

Produtora e especialista em marketing de conteúdo.

Se teve alguma coisa boa que aconteceu em 2020 foi a nova forma de pagamento PIX. A proposta é que pessoas físicas e jurídicas conseguissem fazer transferências em tempo real, e o impacto no ecommerce foi significativo nesses últimos meses.

O Pix é uma excelente alternativa como meio de pagamento já existente. As transações executadas através do PIX podem ser:

  • Entre pessoas;
  • Entre pessoas e estabelecimentos comerciais;
  • Entre estabelecimentos;
  • Para entes governamentais (pagamento de impostos e taxas);

Para utilizar o PIX, é preciso que tanto o pagador (quem transfere o dinheiro) quanto o recebedor (quem recebe os valores) possuam uma conta em banco, instituição de pagamento ou fintechs.

Não tem a necessidade de ser uma conta corrente. As transações também poderão ser realizadas utilizando uma conta de pagamento ou poupança.

Como o PIX terá impacto no ecommerce?

Se tratando do mercado bancário, dado o preço baixo, caráter instantâneo e abrangência de público, o PIX já se tornou praticamente o principal meio de transferência entre contas.

Além disso, com a chegada deste novo método de pagamento, a tendência é que as bandeiras baixem suas taxas para se manterem competitivas.

Benefícios do PIX para ecommerce

Para os comerciantes em geral, o PIX significa uma nova possibilidade de pagamento, mais simples do que dinheiro e boleto bancário.

Quando se trata de lojistas e empreendedores, ele traz alguns benefícios de negócio, como:

Você recebe na hora

Esperar compensar boleto em até 2 dias úteis? Ficar aguardando o dia seguinte para o dinheiro cair na conta após uma TED feita após horário comercial? Ficar na expectativa do DOC ser validado? Com o PIX, esses problemas acabaram.

O cliente realiza o pagamento a qualquer data e hora do dia e, em segundos, o dinheiro já está na sua conta. Tanto seu e-commerce quanto seu cliente saem ganhando, já que a compra é confirmada no mesmo momento e isso acelera a produção e o envio do produto.

Agilidade no pedido e na entrega

Consumidores online geralmente ficam ansiosos para receber seus pedidos e o código de rastreio. Geralmente, o envio só é confirmado após o lojista confirmar o recebimento. Com o PIX, tudo fica mais rápido e consequentemente, o cliente fica mais feliz e satisfeito.

Melhorias no fluxo de caixa

Todos os varejistas sabem o quão desafiador é manter o fluxo de caixa girando quando o processo depende do pagamento de fornecedores, da compra de mercadorias, os custos com matérias-primas e salários da equipe envolvida.

E não para por aí. Ainda tem as taxas cobradas nas transações bancárias. Um grande impacto do PIX no e-commerce devido à rapidez no pagamento. Com o recebimento à vista, é muito mais fácil otimizar o fluxo de caixa.

E para o PIX, os benefícios são:

  • automatização dos meios de pagamento (consequentemente, melhor controle de LD/FT e redução do uso de cédulas, que são instrumentos socialmente mais custosos);
  • maior competição entre prestadores de serviços de pagamento (tende a gerar serviços com maior qualidade e menor custo);
  • facilita a entrada de novos ativos;
  • maior potencial de inclusão financeira (custos menores de iniciação e de aceitação e ambiente com mais agentes ofertantes);
  • aumento de benefícios, preservada a segurança.

Como o PIX pode ser atrativo aos ECs: donos de sites de e-commerce?

Segundo os dados apresentados pela ABECs, o mercado de cartões de crédito, débito e pré-pago, o fechamento estimado do ano de 2019 com um volume financeiro transacionado no Brasil foi mais de R$ 1,8 Trilhão, um pouco a mais do que os 17% de crescimento projetados para o ano. 

Do valor total de R$ 1,8 Trilhão, o share do crédito e parcelado é de pouco mais de 60% em compras, contra uma participação de aproximadamente 37% no débito (o restante é pré-pago).

Quando transportamos isso para o mundo online, temos o seguinte cenário (dados de 2018):

  • As compras online já representam 20,5% do total movimentado pelo cartão de crédito;
  • Crescimento de mais de 18,5% de um ano para o outro;
  • 80% dos usuários usam o cartão de crédito nas compras online;
  • Via celular 63%, via desktop 35%, via notebook 33%, via tablet 3%.

Somando todas essas condições, temos dois grandes paradigmas que ainda não foram bem esclarecidos: os custos das transações via boleto e a morosidade, resistência e falta de usabilidade amigável das transações no cartão de débito em transações online.

Mesmo com o novo Protocolo 3DS 2.0, o aumento das transações de débito no e-commerce é insignificante quando comparado às demais formas de pagamentos online.

E dessa forma, o PIX será um grande divisor de águas na indústria online, sendo uma forma de pagamento mais amigável, sem conflitos na experiência de compras do Consumidor, sem mudanças de telas no checkout, funcional e transparente para todos os tipos de dispositivos, além de não ter custos abusivos aos ECs.

Quem sabe agora, o e-commerce brasileiro efetivamente veja o crescimento de suas vendas com segurança e velocidade, recebendo os valores à vista, através do PIX, powered by Banco Central.

Gostou do artigo? Continue nos acompanhando para ter acesso a mais conteúdos como este. 





Últimas Postagens WebPeak

Marketing

O que é Performance Criativa? Saiba como melhorar sua presença na internet!

SEO

Mapas de calor: entenda como gerar ações inteligentes para seu negócio

Marketing

Trabalha no setor Supermercadista? Esse guia de marketing é para você

SEO

WebPeak: ferramentas de SEO com importantes recursos para seu negócio!