SEO

Seja um cientista do Marketing Digital

05
Jan
2021

Mariana Chaves

Produtora e especialista em marketing de conteúdo.

O marketing sempre foi extremamente importante para as empresas alcançarem seus resultados. Hoje, mais do que nunca, tornou-se primordial ter boas estratégias de marketing para conseguir se destacar, principalmente se tratando do digital. 

E se você trabalha com marketing digital, esse é o momento de atualização para acompanhar o mercado. Cada vez mais os modelos tradicionais de agências vem perdendo força, e para todos os profissionais da área soa um alerta de mudança o quanto antes. 

Uma coisa é certa: não é mais aceitável que os profissionais dessas áreas não entreguem resultados. É necessário aplicar mais esforços para atrair os consumidores na era do encantamento, e para isso vai ser preciso conhecer muito sobre como funciona a mente do consumidor

Marketing não é só ciência, se tornou uma forma de arte. É por isso que cada vez mais pessoas da área tem se especializado em neurociência, para compreender a fundo como funciona o comportamento do consumidor e aplicar estratégias assertivas.

Ser um cientista do marketing digital é criar situações para o que o cliente aja


Com as redes sociais tudo parece “mais fácil”, não é mesmo? Realmente, milhares de pessoas têm acesso a essas ferramentas, e hoje as empresas que não estão na internet não alcançam metas. 

“Mas é só fazer um post aqui, outro ali, que fica tudo certo.”

Não é assim que a banda toca, colega. O comportamento do consumidor tem mudado constantemente, e estão cada vez mais conscientes do poder de compra devido aos conteúdos disponibilizados para pesquisa. 

A pessoa que está assistindo um vídeo no YouTube, e é interrompida por um anúncio da sua empresa, se ela nunca comprou com você, pode ter certeza que o ranço vai se instalar. E para tirar a impressão ruim do que poderia ser um potencial cliente não é fácil. 

Agora, se o usuário for alguém que já acompanha sua marca, que é fã e entrou para o clube de clientes satisfeitos, a forma que ela lidará com um anúncio da marca mudará. É bem possível que ela acesse nem que seja para ficar por dentro das novidades. 

As ferramentas estão sendo desenvolvidas para atender as expectativas desses clientes, mas elas ainda não são operadas sozinhas, é necessário saber utilizar cada uma delas para conseguir o resultado desejado. 

O grande diferencial de um cientista do marketing digital é justamente, saber como usar as ferramentas de alcance para gerar resultados positivos, além de criar campanhas de conteúdos relevantes para conquistar quem nunca nem pensou em fazer uma compra na empresa. 

De onde surgiu o termo cientista do marketing digital?

O termo cientista do marketing digital surgiu para destacar profissionais especializados na área, e que realizam estratégias com resultados de conversão altíssimos com base no conhecimento do comportamento do consumidor.

Se você ainda não sabe como aplicar estratégias de marketing digital de maneira eficaz, volte 3 casas e comece novamente. Mas não se preocupe! Estamos aqui para te ajudar nesse processo. 

Como entender a neurociência do consumo

O que compramos, por que compramos, a forma que escolhemos determinadas marcas e produtos, e todos os motivos que nos levam a gastar mais em diferentes fases da vida são questionamentos estudados pela neurociência do consumo. 

No marketing, as respostas de todas essas perguntas podem ser determinantes para ações com funcionários e clientes. Dessa forma, com o objetivo de atingir o público-alvo e atender seus desejos, a neurociência é utilizada pelo setor.

O papel das emoções ao tomar decisões é muito estudado na neurociência (ou neuromarketing).  Várias empresas têm explorado informações retiradas a partir das emoções humanas para incentivar o consumo e identificar os desejos de seus clientes. 

Esses dados não são obtidos a partir dos relatos, mas das reações e comportamentos que expressamos, o que pode nos tornar ainda mais suscetíveis ao mercado.

O cérebro constantemente trabalha com duas questões relacionadas ao ato de comprar: o medo de errar e o desejo por novidades. Entender como isso funciona é primordial para um cientista do marketing digital. 

A relação com o consumo também apresenta níveis diferentes em cada fase da vida, o que evidencia a importância das ações de marketing digital feitas da forma correta. Jovens, por exemplo, são mais propensos a comprar por impulso. Adultos e idosos, por sua vez, tendem a ser menos compulsivos, mas são mais propensos a consumirem em alterações de humor. 

O que fazer para ser um profissional de marketing digital melhor?

Não existe profissional no marketing digital sem ser analista. É necessário sempre estar atento aos dados e mensurar com cuidado todas as informações disponíveis.

Esse passo é fundamental para conseguir entender o comportamento do computador e assim conseguir elaborar estratégias assertivas para garantir bons resultados. 

Se a sua intenção é se aprimorar para se tornar um cientista do marketing digital, se prepare para testar coisas novas o tempo todo e analisar as métricas de aceitação para poder aplicar de forma eficaz. 

E para se aprofundar, nada melhor do que muito estudo e colocar em prática cada ação para obter sucesso. 

Gostou do artigo? Continue nos acompanhando para ter acesso a mais conteúdos como esse. 

Até breve!


 



Últimas Postagens WebPeak

SEO

Quer melhorar sua Taxa de Clique Orgânico? A gente te mostra como!

Google

Google testará o Protocolo IndexNow

Google

Guia SEO: aprenda a encontrar todas as páginas de um site

Google

Como desenvolver uma campanha com resultados no Google Ads